MANCHETES Cotidiano

Em Sousa, professor Doutor Allan Sarmento Vieira, vice-diretor do CCJS/UFCG, rompe politicamente com o diretor do CCJS/UFCG; "prefiro morrer de pé a viver ajoelhado"

Por portalnoticiaja

01/05/2021 às 11:53:55 - Atualizado há

O Professor Doutor Allan Sarmento Vieira vem, através do seu grupo científico, e por meio deste, vem respeitosamente manifestar, a retirada de apoio político concedido ao diretor do CCJS/UFCG, desde do ano de 2018, de forma definitiva e consciente.

Minhas justificativas são totalmente respeitosas e transparentes, indo em direção a carta programa apresentada e com aqueles que declararam lealdade e acreditaram na gestão, deixando claro que as motivações de mudanças na época eram necessárias, como por exemplo, de transformar o nosso centro numa referência na pesquisa e na pós-graduação.

Os indícios de rompimento se deram inicialmente pelo tratamento indevido com o chefe de gabinete da época Silvio Maciel, e ainda assim por manter pessoas na subprefeitura sem nenhuma experiência para executar serviços de infraestruturas inadequados, como a derrubada de árvores sem nenhum critério; desconfiguração de pintura da fachada do prédio situado na BR, manter animais ferozes e doentes soltos, falta de itens de higiene pessoal nos banheiros, informações relatadas pelos próprios alunos nas redes sociais, falta de equipamentos de segurança adequados, inexistência de revisão dos telhados que molharam inúmeros livros, entre outros, condições essas que não observamos terem sido cumpridas de forma satisfatória, até um determinado momento, lembrando que ocorreram algumas melhorias quando consegui executar o meu trabalho, tendo a oportunidade de resolver algumas questões.

Diante disto, restou claro, em função de tamanho descaso no exercício desta gestão, que o meu posicionamento serve para alertar toda a comunidade acadêmica, pelo tratamento diferenciado e autoritário da direção de centro.

Importante esclarecer a toda comunidade acadêmica que eu fui atraído para um projeto de um centro justo, ético, democrático e científico, nunca foi da minha vontade condicionar qualquer ação, mas sim deixar claro que minha participação nesta gestão foi breve e dependia de maneira imprescindível de escutar alguns colegas que confiaram em mim, como Vice-diretor.

Posso evidenciar como pesquisador alinhado ao progresso, a eficiência de bons serviços e o crescimento da pesquisa, onde pautei a minha atuação em prol destas garantias.

Contudo, vocês nunca irão ver o meu nome em trabalhos e ações que não foram executados por mim, porque eu respeito à ética e o esforço de cada um de vocês. Neste ínterim, entendo que meu foco sempre foi, e será, de fortalecer a pesquisa e a pós-graduação do nosso centro, buscado desvelar potencialidades, deficiências e de inibir ações que travam o desenvolvimento da nossa comunidade acadêmica, e tenho a convicção que só iremos conseguir juntos evitando falácias e degradações da imagem de quem sempre contribuiu.

Portanto, até o fim do ano de 2019, executei 70% de toda carta programa, onde irei relatar em breve em outro e-mail, como exemplo disso a prestação de conta do mandato que vocês me concederam através do voto, e continuo afirmando que durante este período fui firme para inibir ações da velha forma de se fazer política, como realizado pela atual gestão, a qual não faço mais parte.

Diante disso, convido todos que fazem parte da comunidade acadêmica, para que façam uma avaliação sobre a atual gestão e da minha pessoa, que realmente vem contribuindo para o crescimento do nosso centro. Após esta análise, restando ela satisfatória ou não, optem por uma futura gestão focada e não mergulhada em atos meramente administrativos e autoritários.

Por fim, e ciente da compreensão de vocês, e do dever cumprido no período que me deixaram trabalhar, manifesto a esta comunidade acadêmica meus sinceros desejos de renovação do espírito humanístico, principalmente quando pautado no diálogo plural, de igualdade, liberdade e da ciência, ideais estampadas na vontade e no coração do professor Allan Sarmento Vieira.

"Prefiro morrer de pé a viver ajoelhado"

Professor Doutor e Associado Allan Sarmento Vieira

Líder do Grupo de Pesquisa Gestão Ambiental no Semiárido (GAS)

Editor-chefe da Revista Interdisciplinar e do Meio Ambiente (RIMA)

Vice-diretor do CCJS/UFCG

Comunicar erro

© 2021 - Todos os direitos reservados.

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade •   Quem somos    •   Contato   •